quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Eletrolipólise ( Eletrolipoforese)

A eletrolipólise também chamada de eletrolipoforese é uma técnica destinada ao tratamento das adiposidades e acúmulo de ácidos graxos localizados. Caracteriza-se pela aplicação de microcorrente específica de baixa freqüência (ao redor de 25 Hz) que atua diretamente a nível dos adipócitos e dos lipídios acumulados produzindo sua destruição e favorecendo sua posterior eliminação.

Um dos maiores problemas profissionais da área de estética no Brasil, é a falta de uma nomenclatura uniforme, que não nos cause problemas na interpretação e/ou na execução de artigos ou trabalhos científicos. Além dos dois termos, podemos confundí-los com a Eletroforese, que é uma forma de utilização da corrente galvânica, sem a adição de princípios ativos, sendo um mecanismo e ação complementar aos tratamentos estéticos, que será escrita numa outra oportunidade aqui no blog.

A Célula e a Eletroterapia:

A célula é um elemento vivo que possui a capacidade de reagir aos estímulos elétricos, da mesma forma que reage a estímulos de natureza hormonal, térmica, mecânicas e fotoquímicas.


A diferença básica é que as células usam átomos carregados, ou seja, íons para o movimento das cargas e quando falamos da eletricidade em circuitos não humanos, temos a movimentação de elétrons.

As células são circuitos úmidos, que operam em um meio salino de condutividade, como exemplo, um único íon de hidrogênio que contenha um próton , tem 2.000 vezes a massa de um elétron.

Entretanto há grande diferença entre eletricidade direta e quando a colocamos direto no corpo humano, mostrando a reação que se produz nos tecidos em relação a simples passagem dos elétrons secos, movimentando no organismo os íons úmidos, que nos levarão a reações desejadas.

A eletrolipoforese terapêutica como dito anteriomenente atua a nível do tecido adiposo, produzindo sua destruição e eliminação. O campo elétrico que se origina entre os eletrodos, provoca a nível local, uma série de modificações fisiológicas que são responsáveis pelo fenômeno da eletrolipólise. Os principais efeitos fisiológicos proporcionados pela eletrolipólise são:

1) Efeito Joule

Em virtude do efeito Joule, a corrente elétrica, ao circular por um condutor, realiza um trabalho que produz calor ao atravessar o mesmo. O aumento de temperatura que é produzida na eletrolipoforese, não atinge tecidos orgânicos, visto que se trata de uma corrente com uma intensidade muito pequena, porém suficiente para contribuir para instalação de uma vasodilatação com aumento de fluxo sangüíneo local. Desta forma é estimulado o metabolismo celular local, facilitando a queima de calorias e melhorando o trofismo celular.

2) Efeito eletrolítico

Em condições normais a membrana celular é semipermeável, que separa dois meios de composição iônica diferente: o meio intracelular é eletronegativo e o meio extracelular é eletropositivo. O campo elétrico gerado por esta corrente na eletrolipoforese, induz o movimentoiônico que traz consigo modificações na polaridade da membrana celular. A célula tende a manter seu potencial elétrico de membrana normal, e essa atividade consome energia a nível celular.

3) Efeito de estímulo circulatório

O ligeiro aumento de temperatura que se instala no local (efeito Joule) contribui em parte para a instauração de uma vasodilatação, pois a corrente atua com estímulo direto nas inervações promovendo uma ativação da microcirculação. Já foi demonstrado em em estudos que a freqüência de 25 Hz é mais eficaz para tratar alterações circulatórias e congestivas.

4) Efeito neuro-hormonal

O tecido adiposo representa a principal reserva energética do organismo. Longe de um simples reservatório, o adipócito possui uma intensa atividade metabólica: forma triglicerídeos (liposíntese) e os armazena, decompondo-os (lipólise) segundo a demanda do organismo. A mobilização das gorduras de reserva, ou seja a lipólise , se realiza graças a uma enzima hormônio-dependente, a triglicerideolipase. Esta enzima desintegra os triglicerídeos em ácidos graxos e uma molécula de glicerol. Os ácidos graxos assim produzidos são em grande parte, expulsos da célula a menos que estejam em um local com excesso de glicose, e que voltam a formar triglicerídeos; ao contrário, o glicerol liberado, não pode ser usado novamente e é captado pelo fígado que o metaboliza em glicose.

Cada adipócito contém grandes quantidades da enzima digestiva de gordura, em sua forma inativa, a lipase. Alguns hormônios, em especial o cortisol, do córtex suprarenal, e a epinefrina, da medula supra-renal, podem ativar a lipase. O sistema neuro-hormonal influi sobre a lipólise: a estimulação do sistema simpático a ativa, enquanto a estimulação parassimpática diminui.

O Sistema Nervoso Simpático atua por mediação das catecolaminas (adrenalina e noradrenalina):a ativação destas últimas se efetua por itermédio do AMP cíclico, que estimula certas proteinquinases, o que determina a ativação de lipase tissular.

Quando se utiliza uma corrente especifica de baixa freqüência durante a eletrolipoforese, produz- se uma estimulação do Sistema Simpático, e como conseqüência ocorre a liberação de catecolaminas com aumento do AMP cíclico intradipocitário, e aumento da hidrólise dos triglicerídeos.

Alguns trabalhos já realizados com esta técnica demonstraram a presença de quantidades significativas de glicerol na urina, horas subseqüentes ao tratamento (sabe-se que em condições basais o glicerol não é detectado na urina). Este fato indica ativação da lipólise que se produz. Em conjunto, e como conseqüência de todos os efeito mencionados, se induz um aumento do catabolismo local, que se traduz clinicamente em uma redução do panículo adiposo, desde a primeira sessão.

Princípios de ação da Eletrolipoforese:

A Eletrolipoforese é uma forma de treinamento de Eletroterapia que utiliza corrente bidirecional, com alternância de polaridade a cada segundo que trata a gordura localizada e a celulite em seus diversos graus através de uma estimulação da pele em 4 etapas como verão abaixo:

Para que obtenhamos êxito na aplicação bem como no direcionamento das formas de onda, temos que nos preocupar com o ajuste de freqüência, que data o direcionamento e ação específica a cada forma de onda.

Onda A - tem uma dupla aplicação, sendo a primeira uma forma de estimulação com uma freqüência de 50 Hertz, o que neste caso superficializará seu efeito, dando uma diminuição na resistência intrínseca da pele e uma diminuição de uma sensibilidade de dor que possa ser referida pela paciente.

Onda B – possui uma freqüência mais baixa, em torno de 30 Hertz, destinada a uma ação preferencial na derme, com o objetivo de estimular as células, principalmente o fibroblasto que justifica a ação de melhora na tonicidade, e sobretudo a sua ação na drenagem intersticial visando uma diminuição do edema instalado. Temos aqui, tanto o efeito de vasodilatação pela ativação da microcirculação, como também a ação anti-inflamatória pela reabsorção dos metabólitos.

Onda C – esta forma de onda tem freqüência de 10 Hertz, atua diretamente sobre o adipócito pela estimulação elétrica das terminações do sistema neurovegetativo simpático. Esta estimulação agirá de forma a desencadear uma liberação do AMP ciclo intra adipocitário.

Os adipócitos das regiões envolvidas no processo celulítico assume uma atitude estática, e esta forma de onda fará com que haja uma excitação celular, incrementando o aumento na produção do AMP cíclico à produção dos produtos da degradação dos lipídios.

A ação direta desta forma de onda se dá diretamente sobre os receptores Beta determinantes da ativação do AMP cíclico que estimulará a lipase inativa tornando-a que liberará o triglicéride sob forma de ácido e glicerol.

Onda D – esta onda tem a característica de estimulação direta muscular, sendo que a freqüência de trabalho deve ser direta para o músculo, ou seja de 5 Hertz, e pode ser usada no final do tratamento para que através da estimulação muscular tenhamos uma via a mais de eliminação dos produtos oriundos da lipólise – eliminação de gordura.

Método de Aplicação:

A Eletrolipólise tem duas formas de aplicação, levando-se em conta as seguintes precauções iniciais:


  • a pele deve estar íntegra, sem lesões cutâneas, observando-se ainda que a paciente não deve ter feito nenhum procedimento esfoliativo prévio, tal como depilação por cera;
  • a região não pode Ter tumorações;
  • a pele deve estar sem cremes ou produtos;
  • pacientes que façam uso prolongados de corticóides e progesterona;
  • pacientes que tenham doenças uterinas como fibromas.
Método com Agulhas: os eletrodos são agulhas de acupuntura de 15 cm de comprimento por 0,3 mm de diâmetro, de uso único. As correntes são contínuas, mas existem algumas
correntes utilizadas para a prática da eletrolipoforese que são alternadas. O pulso bifásico assimétrico (como o pulso do TENS), é uma forma de onda utilizada na eletrolipoforese. As agulhas podem medir entre 4, 5, 7, e 12 cm, introduzidas a nível hipodérmico, utilizando-se uma distância de 4 cm entre elas. São sugeridas agulhas de acupuntura, fabricadas em aço inoxidável ou em prata, descartáveis, medindo de 0,25 a 0,3 mm de diâmetro com comprimentos que variam de 1 a 3 cm, ou de 10 a 12 cm. Agulhas mais grossas (0,30 mm) podem apresentar melhorers efeitos.

A técnica de aplicação consiste em colocar o paciente em posição cômoda, com a área de tratamento exposta, antes de penetrar a gulha e realizado os procedimentos de assepsia e antissepsia pertinentes ao procedimento.

Nesta “zona” de tratamento normalmente pinçamos o tecido, comprimindo a pele intensamente e procurando dar a angulação necessária para a colocação da agulha. Com a outra mão seguramos a agulha no máximo 0,5 cm da ponta do bisel. Evitando que no ato da penetração, a agulha fique fletida e perca o direcionamento da mesma. Devem ser introduzidos pares de agulhas de forma paralela, de acordo coma saída dos cabos no aparelho. As agulhas são separadas por mais de 5 cm, de modo que cubram toda a área a tratar. Se inicia uma sessão aumentando a intensidade gradativamente, partindo até o limiar suportável do paciente.

Tempo deduração: 50 minutos, após costuma-se aplicar algum tratamento complementar como: Estímulo muscular, drenagem linfática, estimulação de pontos de acupuntura, etc. Quase sempre é somado ao tratamento uma dieta hipocalórica e hidrosalina controlada para favorecer a saída de água intra-celular.

A intensidade da corrente aumentará em função da sensibilidade do paciente, de forma que não resulte em dor intensa na pessoa tratada. Vale ressaltar, que a pessoa tratada deve notar uma sensação de "pico máximo não doloroso" e esta será ajustada segundo a tolerância do mesmo, preocupando-se com a acomodação individual. Havendo a acomodação, a intensidade deverá ser aumentada quantas vezes forem necessárias. É necessário que o paciente sinta sensação de picadas que chegam ao limite do desagradável. Durante a sessão e preciso aumentar progressivamente a intensidade da corrente durante o processo de acomodação.

As sessões podem ser semanais, com um mínimo de 6, podendo alcançar até 10, devendo-se
levar em conta que os efeitos se prolongam durante umas semanas a mais, sendo que para julgar os resultados se espera até 45 dias após o fim do tratamento. É sugerido uma aplicação por semana, os resultados tornam-se mais significativos após a 3ª sessão.

Quando há o aparecimento de dor durante a introdução da agulha, significa que a mesma está
mal posicionada ao entrar em contato com as aponeuroses da pele, que são estruturas ricamente inervadas. As agulhas devem ser introduzidas sobre o tecido cutâneo, a nível do panículo adiposo. Não deve ocorrer nenhum sangramento e nenhuma dor deve ser manifestada. Esses fatos garantem a implantação correta da agulha no tecido adiposo.

Método sem agulhas: esta aplicação é feita por elétrodos de silicone condutivo, de baixíssima resistência intrínseca, obedecendo o mesmo distanciamento, ou seja, colocadas aos pares, com distanciamento de 5 a 6 cm.Deve se pôr um gel condutivo, sem princípios ativos, como cânfora e mentol, dispondo em regiões de acumulo de gordura, visando saturar pelo número de elétrodos,
2 a 3 vezes por semana, dependendo do estágio da paciente, variando o número de sessões de 20 a 30 sessões, sem também a necessidade de fazer com que a paciente tome 2 litros de líquidos.

Tanto para aplicação com agulhas quanto a sem agulhas, após a aplicação, deve ser recomendado a paciente a não exposição ao sol, devido a sensibilização causada pela aplicação. Também observamos que pode haver eritemas – vermelhidões – na pele, principalmente na aplicação com elétrodos epicutâneos – sem agulhas, fato este que pode se agravar se não for levado em consideração a tolerância ideal junto à paciente. Esse inconveniente, geralmente, ocorre por haver uma dose de ansiedade da paciente, o que faz com que a mesma refira uma intensidade tolerável, mesmo não sendo, o que levará a uma exposição da pele a uma carga elétrica superior a sua tolerância.

INDICAÇÕES:

A principal indicação da eletrolipólise está no tratamento da obesidade localizada, celulite e
lipodistrofia localizada. Há também indicação pós lipoaspiração, como complemento da cirurgia.


Podemos utilizar a eletrolipoforese para diminuição do perímetro em abdome, coxa e quadril.

Há também, discreta, porém não espetacular, perda de peso, melhora circulatória local e melhora da troficidade da pele da área tratada. Pode ser indicada também o uso da eletrolipoforese na lipodistrofias localizadas, nas complicações de "placas onduladas" após a lipoaspiração e a ptose abdominal e das nádegas.

CONTRA-INDICAÇÕES:

Não existe nenhuma região do corpo onde o método está contra- indicado, sempre e quando a indicação seja correta. Algumas contra-indicações da eletrolipoforese:

• Transtornos cardíacos (alteração do rítmo e da condução; insuficiência cardíaca) e portadores de marca-passo e cardiopatias congestivas;

• Pinos ou placas no corpo, em áreas onde a corrente elétrica será aplicada;

• Gravidez em qualquer idade gestacional;

• Paciente renais crônicos (insuficiência renal)

• Trombose venosa profunda ou estado venoso catastrófico.

• Patologias ginecológicas, tipo fibroma uterino;

• Utilização de medicamentos, como corticosteróides, e anticoagulantes ;

• Progesterona;

• Neoplasias;

• Alterações dermatológicas na área a tratar (Dermatites, dermatoses, feridas, inflamações,
eczemas, etc.)

• Epilepsia

Possíveis complicações e efeitos secundários podem ocorrer quando a eletrolipoforese trabalha com a implantação de agulhas no panículo adiposo, sem normas de assepsia adequada. Pode aparecer hematoma nessa área, o que não trará complicações. No método de aplicação de agulhas superficiais, poderá ocorrer uma pequena auréola de eritema pela passagem de corrente na pele que desaparecerá por si só e sem tratamento em poucas horas. Há também a descrição do aparecimento de pequenos pontos necróticos superficiais no local de introdução da agulha. As causas que podem determinar a aparição deste incidente não estão claras, entretanto, caso apareçam estes processos, sua cura ocorrerá sem maiores complicações.

A técnica realizada de forma inadequada pode levar a ocorrência de alguns incidentes:

- O paciente sente dor no momento exato da implantação da agulha.

- Surgem equimoses após a sessão, devido a pequenas veias superficiais que são picadas
desastrosamente ou, então, por um erro na manipulação de implantação atingindo tecido muscular.

- No final da sessão, a retirada da agulha causa sangramento.

- Durante a sessão, o paciente queixa-se de leves contrações musculares, é preciso verificar
se as agulhas não atingiram o plano muscular.

A Eletrolipólise é um método eficaz, que tem sua efetividade ampliada quando temos ele conjugado com outros métodos, tais como Ultrassom e a Ionização, formando esses três equipamentos uma rotina que dará, certamente, uma resolução a vários aspectos no tratamento da celulite e gordura localizada.

Assistam uma pequena demonstração da eletrolipólise subcutânea:




Marcelle Matoso.

23 comentários:

Elisangela disse...

Marcele meu nome é Elisângela gostaria de mais informações sobre o eletrolipoforese. Tenho o aparelho e fiz o curso com a Lorice Miguel em Juiz de fora onde moro.
Recebi no curso um conjunto de agulhas diamantadas e meu aparelho é da TONEDERM,então depois de ver o video fiquei animada em praticar a tecnica. Sei que se associada ao ultrasom de 4.5 podemos ter o efeito do manthus. Se for possivel gostaria de trocar ideias. beijos e parabéns pelo seu blog eu ADOREI !!!!!

cris disse...

Oi Marcele td bem? adorei seu blog vc está de Parabéns! Li o comentario de Elisangela e é verdade que associado ao ultrassom a eletolipólise tem o mesmo efeito do Manthus? no caso seria logo após a sessão? Obrigada, aguardo sua resposta,

Ana Velloso disse...

ola Marcele gostaria de saber se o fisioterapeuta pode indicar quais os aparelhos e procedimentos(manthus,eletrolipólise,corrente russa,ultrassom,pelling de cristal,etc..) o paciente pode fazer e quantas sessões?
HA!achei muito interessante o seu blog,amei!!!!
obrigada,
Sofia.

Anônimo disse...

ola Marcele gostaria de saber se o fisioterapeuta pode indicar quais os aparelhos e procedimentos(manthus,eletrolipólise,corrente russa,ultrassom,pelling de cristal,etc..) o paciente pode fazer e quantas sessões?
HA!achei muito interessante o seu blog,amei!!!!
obrigada,
Sofia.

francisco disse...

oii marcelle to fazendo um trabalho aqui sobre a eletrolipolise mais nao to achando resposta convincentes para as contra-indicaçoes se vc poder mim ajudar to precisando com urgencia.desde ja eu agradeço.as duvidas pq é contra- indicado?Pacientes com lesões na pele
Tumoração de natureza maligna
Em tratamento com corticóides e progesterona prolongado
Mioma uterino,Em tratamento com beta bloqueadores,Hipertensos,
Hipoglicêmicos,Diabetes tipo2
Doença vascular periférica,Trombose,HipotireoidismoNeoplasias,Uso de marca-passo,Epilepsia,Gravidez,Insuficiência renal,Dermatite de contatoNeuropatias periféricas,Hipocalcemia,Área de infecção ativa.
desde ja eu te agradeço to precisandu disso para amnha.

francisco disse...

por mim responda s for possivel hoje mesmu.

Dra. Eliane F. Lima disse...

Oi, parabens pelo blog. li q pode-se usar o tens? como eh possivel? quais os parametros?grata?

bruna disse...

Primeiramente parabens pelo blog, Gostaria de saber como pode-se usar o tens? como e possivel? quais os parametros?
obrigado

Tina disse...

Oi Marcele tudo bem??? Estou iniciando na área de dermato e seu blog está sendo muito útil! Parabéns, é muito bom saber que tem pessoas como vc, que se preocupa em dividir os conhecimentos com os colegas, sabendo que no final só somamos!!!
Tenho dúvidas a respeito da eletrolipólise, pode ser usado o Tens? Gostaria de mais informações a respeito! Beijos tinafisioterapia@yahoo.com.br

SOL disse...

ola! ja estou seguido seu blog!! foi otimo as explicaçoes da eletrolipolise . visiti e omeu tbm!! abraços sol

Anônimo disse...

boa noite marcele,
meu nome é josefina, sou cientista da computação e amei os dados divulgados...o tratamento sem agulhas é eficaz(tenho pavor de agulhas)?
Uma dica: a cor de fundo usada para os comentários e a cor branca para a letra dificulta a leitura...

Patrícia Félix disse...

Macele meu nome e patricia,estou no cursando curso de fisioterapia e estou fazendo meu tcc sobre eletrolipolise voce teria alguns artigo sobre o assunto se tive me envie por favor.
patriciapfso@gmail.com

rosana disse...

olá Marcele amei muito seu blog,estou me especializando em dermato funcional e gostaria de sempre trocar experiencia com vç e mais alguem de nossa area meu email e rosanabobo@ig.com.br ,preciso me aprofundar mais se vç tiver mais ideias mande pramim bjs

brunapassira@yahoo.com.br disse...

OI MARCELLI SOU FISIOTERAPEUTA ESTOU FAZENDO PÓS EM DERMATO TENHO DÚVIDAS SOBRE OS PARÂMETROS POIS SÃO VÁRIOS AUTORES FALANDO VÁRIOS...PELA SUA EXPERIENCIA GOSTARIA DE SABER O QUAIS VC UTILIZA.ATENCIOSAMENTE BRUNA

Anônimo disse...

Marcelle seu blog é bem esclarecedor, amei, mas gostaria de saber quais os profissionais que podem usar a tecnica da eletrolipolise?

VALÉRIA disse...

OLA Marcela fiquei empressionada com tantas informações no seu blog, gostaria de saber se vc podi me dar uma mãozinha para eu manuziar melhor meu novo heccus tenho duvidas em usar eletrolipolise ,pois na maquina ja tem protoco pronto mas a cliente q diz q não sente nada ai gostari de sabe o quanto posso aumentar correto a frequência de portadora , a frequencia de modulação da corrente , rise ,decay,on e off para pontencializar mas o tratamento . fICAREI muito grata se vc puder me responder de coração caso vc possa e tenha tempo estou sempre conetada valeria.castro30@hotmail.com obrigada .....

CRIS ZAGO disse...

oi Marcelle, você utiliza durante os 50 minutos da eletrolipólise, todas aquelas frequencias, ou só 25Hz durante todos tempo? Estou usaando 20 minutos a 10Hz + 25 minutos a 25Hz e 5 minutos finais a 5Hz. Vamos ver o resultado em algumas sessões. Ah, e tb estou fazendo as aplicações a cada 48 horas. A pele está indo bem. Acho 1x/ semana muito pouco.
Abraço,
Cristana.
MSN: cristianazago@hotmail.com

CRIS ZAGO disse...

oi Marcelle, você utiliza durante os 50 minutos da eletrolipólise, todas aquelas frequencias, ou só 25Hz durante todos tempo? Estou usaando 20 minutos a 10Hz + 25 minutos a 25Hz e 5 minutos finais a 5Hz. Vamos ver o resultado em algumas sessões. Ah, e tb estou fazendo as aplicações a cada 48 horas. A pele está indo bem. Acho 1x/ semana muito pouco.
Abraço,
Cristana.
MSN: cristianazago@hotmail.com

Casa Zen disse...

Bom dia Marcele, meu nome é Alane, sou fisioterapeuta e faço curso Dermato funcional, gostaria de parabenizá-la pelo blog, e minha dúvida é a seguinte: existe a possibilidade de fazer a aplicação da eletrolipo com o TENS? quais são os parâmetros que devem ser utilizados neste caso? Obrigada.

Anônimo disse...

Oi Marcele,
Estou fazendo um trabalho sobre eletrolipoforese e gostaria de saber de qual literatura vc pesquisou para fazer este exelente resumo sobre o assunto.
Obrigada
alek_peres@hotmail.com
Aguardo resposta.

elaine disse...

Ola MArcele,
Voce poderia me indicar um aparelho para realizar eletrolipolise com agulhas?
O ideal seria um com vaio canais , nao é? assim trabalhamos maior numero de areas.
Outra pergunta: como voce faz para as agulhas nao ficarem saindo do jacaré?
Aguardo seu email
elainebarrosmagalhaes@gmail.com

nilza disse...

oi Marcele

como e onde acho as respostas às pessoas que postaram comentários, pois algumas dúvidas delas são as mesmas minhas?

Besitos

Nilza

DRª. MARCELLE MATOSO disse...

Preciso do e-mail para as respostas