quarta-feira, 9 de abril de 2008

Fisioterapia no pré e pós operatório de cirurgias plásticas

É necessário que os fisioterapeutas que trabalham com cirurgia plástica se conscientizem que, além da estética, deve haver preocupação com a reabilitação do paciente e com o retorno precoce e dinâmica dos pacientes as suas atividades. O ato cirúrgico constitui uma agressão tecidual que, mesmo bem direcionado, pode prejudicar a funcionalidade destes tecidos. Cabe ao fisioterapeuta atuar com todos os recursos disponíveis para minimizar esta alteração funcional.
Uma vez que o cirurgião e o paciente perceberam os resultados de um tratamento adequado, a fisioterapia torna-se praticamente obrigatória e, assim, um complemento indispensável para o sucesso da cirurgia.
Quando um paciente deseja uma melhora corporal por meio de cirurgia plástica, ele procura um cirurgião de confiança e deposita nele todas as suas expectativas e fantasias. Após a cirurgia, ele depara exatamente o que não deseja: a dor, edema, as equimoses e outros desconfortos provenientes do procedimento. Por meio da fisioterapia pré e pós-cirúrgica, podemos minimizar as queixas e otimizar os resultados da cirurgia, diminuindo o desconforto e os traumas para o paciente. Cabe lembrar que sua satisfação talvez seja o critério mais importante na avaliação dos resultados dos procedimentos cirúrgicos.


Fisioterapia no pré-operatório das cirurgias plásticas:

O atendimento fisioterapêutico nessa fase é de extrema importância, pois é nela que se pode avaliar possíveis alterações físicas, motoras e sensitivas já existentes no paciente antes mesmo da cirurgia, já prevendo as possíveis ou ate mesmo prevenindo outros tipos de alterações, nessa fase o ideal é avaliar o paciente como um todo, e através dela estabelecer parâmetros comparativos com a fase pós operatória, ou seja, ter o conhecimento de que certas alterações já eram pré existentes no pacientes, ou se elas foram adquiridas após a cirurgia, pois muitos dos pacientes na avaliação pós operatória não relatam por não ter consciência das alterações.

O que o fisioterapeuta avalia nessa fase?
  • Avalia fatores que estejam relacionados à disfunção estética como: retrações musculares, deformidade articular, desvios posturais que leva a alteração estética e funcional.
  • Avalia cirurgias plásticas realizadas anteriormente: observando se existe alguma fibrose ou aderências.
  • Avalia a mobilidade articular e muscular.
  • Avalia condições circulatórias: se o paciente apresenta edemas, linfedemas, celulites, neste caso de celulite devemos prevenir o paciente que certos procedimentos cirúrgicos, como a lipoaspiração, certamente não irão solucionar o problema da celulite. Na verdade, poderá amenizar ou até agravar, dependendo do tipo.

De uma forma em geral, o pré-operatório fisioterapêutico funciona também como orientação para o paciente, é aonde preparamo-lo para a cirurgia e conhecemos suas alterações e limitações e começamos a traçar o plano de tratamento pós-crúrgico.

Fisioterapia no pós-operatório das cirurgias plásticas:

Existem vários recursos que podem ser utilizados na fisioterapia, como a drenagem linfática manual e a eletroterapia, que vêm demonstrando eficácia e resultados positivos para a reabilitação do paciente. O tratamento pos-cirúrgico pode ser realizado no pós-operatório imediato ou tardio, tendo como objetivo prevenir: edema, enfisema cutâneo, retrações cicatriciais, fibrose, lipoma, seroma, déficit de sensibilidade e contratura muscular.
Os recursos fisioterapêuticos quando bem utilizados, podem diminuir o tempo de repouso do paciente, restaurar sua funcionalidade, e acelerar a recuperação, possibilitando a reintegração do indivíduo em suas atividades sociais. Os recursos atuarão prevenindo a formação de aderências, principal fator agravantes no pós-operatório, pois estas aderências impedem o fluxo normal de sangue e linfa, aumentando ainda mais o quadro edematoso, retardando a recuperação.
Baseando no conhecimento científico dos estágios do processo de inflamação e reparo, o fisioterapeuta vai traçar um programa de tratamento eficaz, observado sempre as características clínica apresentadas pelo seu paciente.

Modalidades terapêuticas existente no trabalho da fisioterapia dermato-funcional nas cirurgias plásticas:

  • Drenagem linfática Manual.
  • Terapias Manipulativas: massoterapia, liberação tecidual.
  • Agentes térmicos: uso de calor, frio.
  • Ultra-som
  • Agentes eletroterapêuticos: microcorrentes, corrente galvânica, alta voltagem.
  • Agentes mecanoterapêuticos: vacuoterapia, pressoterapia.
  • Agente fototerapêutico: Laser.
  • Cinesioterapia: exercícios para correção da postura antalgica, encurtamento e contraturas muscular e ganho de amplitude articular.


    Marcelle Matoso.

4 comentários:

FFABYS disse...

olá Marcelle,

preciso de uma ajuda , orientação... fiz uma lipoescultura e gostei muito do resultado , mas na região abdominal surgiu muito tecido fibroso e agora tenho vergonha , quase um complexo. o que eu posso fazer ? já fiz e continuo fazendo drenagem , mas sem sucesso.há alguma possibilidade de redução ? se você puder me orientar...
agradeço
Fabiana

Karen disse...

Olá! Gostaria de uma dica sobre pós graduação nessa área de pré e pós operatório. Quais faculdades oferecem...
Se puder me ajudar, fico grata!

Karen disse...

Olá Marcelle!!

Gostaria de uma dica sobre pós graduação em pré e pós operatório. Sou acadêmica de estética e gostaria de fazer pós nessa área. Se souber de alguma faculdade que ofereça, fico grata se me ajudar!

kaejapan@hotmail.com

Anônimo disse...

Ola, tenho um importante estudo pra fazer e preciso descobrir forma concreta para avaliar edema, vc tem alguma sugestão